JUSTIFICATIVAS PAS 2

  • MÚSICAS
  • VISUAIS
  • CÊNICAS
  • AUDIOVISUAIS
  • LEITURAS

CERTO. Justificativa: O baixo contínuo é uma das grandes caraterísticas da música barroca.

CERTO. Justificativa: Na música, o barroco é caracterizado pelo uso do baixo contínuo, do contraponto e da harmonia tonal.

ERRADO. Justificativa: Bach foi um dos principais compositores do Barroco sim, mas do final desse período. Sua morte marca o final do barroco.

ERRADO. Justificativa: A peça é um cânone.

ERRADO. Justificativa: A morte de Bach marca o final do período barroco.

CERTO. Justificativa: Palíndromo significa algo que corre em sentido inverso.

ERRADO. Justificativa: Suas principais peças foram as que escreveu para teatro.

ERRADO. Justificativa: Cavalgada das Valquírias, assim como toda a ópera Valquíria, foi escrita para orquestra sinfônica.

CERTO. Justificativa: A “Cavalgada das Valquírias” é a abertura do Ato III da ópera “A Valquíria”.

CERTO. Justificativa: Wagner se inspirou em mitos alemães.

ERRADO. Justificativa: O tema central é executado por instrumentos de sopro.

CERTO. Justificativa: Cavalgada das Valquírias é a abertura do Ato III da ópera A Valquíria.

ERRADO. Justificativa: A assertiva se torna incorreta ao afirmar que a composição instrumental comum dos grupos da época era feita com violões e viola.

CERTO. Justificativa: A partitura de Flor amorosa é a primeira a utilizar a palavra choro no local destinado ao gênero.

ERRADO. Justificativa: A peça tem três seções.

CERTO. Justificativa: No choro, o solista busca demonstrar seu virtuosismo utilizando variações melódicas, rítmicas, dinâmicas, timbrísticas e harmônicas nos seus improvisos, que é uma de suas características principais.

ERRADO. Justificativa: Matos cita Cazes (1999), que afirma que as composições de Callado demonstram sua preocupação com o virtuosismo e com a exploração de recursos da flauta, “porém os acompanhamentos originais demonstram pouco interesse pela harmonia e uma falta quase total de preocupação com o arranjo”.

ERRADO. Justificativa: De fato são essas as três partes da suíte, mas não nessa ordem. A palavra “respectivamente” torna a assertiva incorreta.

CERTO. Justificativa: A segunda fase, de 1923 a 1938, é caracterizada pela busca da brasilidade musical, e há um aproveitamento sistemático do folclore, elementos negros e caboclos.

CERTO. Justificativa: É considerado o principal representante da segunda geração nacionalista da música brasileira.

CERTO. Justificativa: A suíte orquestral Reisado do Pastoreio, escrita em 1930, é dividida em três partes: Reisado, toada e batuque.

ERRADO. Justificativa: A obra Flor Amorosa tem 3 seções, mas a Batuque tem apenas duas seções.

ERRADO. Justificativa: Foi escrita para flautins, flauta transversal, corne-inglês, oboés, clarinetas, clarone, fagotes, contra-fagote, trompas, trompetes, tuba, tímpanos, pratos, caixa clara, triângulo, bombo, tamtam, piano, violinos, violas, violoncelos e contrabaixos.

ERRADO. Justificativa: A capoeira regional não é caracterizada por ser lenta. Pelo contrário, é mais rápida que a capoeira angola.

CERTO. Justificativa: A capoeira foi desenvolvida no Brasil no século XVI por descendentes de escravos africanos, e surgiu como forma de resistência.

CERTO. Justificativa: É o estilo mais próximo da capoeira que os escravos jogavam.

CERTO. Justificativa: A capoeira é uma manifestação cultural que pode ser considerada um esporte, luta e/ou dança.

CERTO. Justificativa: Na capoeira regional são utilizadas muitas cabeçadas, rasteiras e quedas.

ERRADO. Justificativa: Na capoeira regional, também conhecida como capoeira do mestre Bimba, são utilizados 1 berimbau e 2 pandeiros. Na capoeira angola, entretanto, são utilizados 3 berimbaus, 2 pandeiros, agogô, atabaque e reco-reco.

CERTO. Justificativa: Os capoeiristas, quando na presença dos senhores de engenho, praticavam a capoeira em forma de brincadeira, quando, na verdade, estavam treinando.

ERRADO. Justificativa: É uma manifestação cultural do estado do Pará.

CERTO. Justificativa: A dança do carimbó é feita em pares ou em roda.

CERTO. Justificativa: O carimbó objetiva expressar o cotidiano das populações ribeirinhas, dos agricultores e pescadores da região, bem como a relação que eles mantêm com o meio ambiente.

CERTO. Justificativa: Os elementos dessa manifestação (canto, música, dança, e a formação instrumental) foram tradicionalmente transmitidos pela oralidade.

CERTO. Justificativa: A letra e dança costumam conversar ao expressar o trabalho dos pescadores, agricultores e ribeirinhas. Por exemplo: Quando a pesca e o mar são constantemente citados, as dançarinas fazem movimentos com a saia que remetem ao balançar da rede.

LETRA C. Justificativa: A canção fala sobre a importância de nos unirmos para preservar o meio ambiente.

LETRA D. Justificativa: Para manter o sentido da frase, as palavras corretas são “próxima”, “afastar” e “violência”.

LETRA A. Justificativa: Por eliminação, a terceira alternativa está incorreta por afirmar que pensar no bem-estar alheiro é prejudicial ao indivíduo.

CERTO. Justificativa: A canção convida o ouvinte a se unir em prol das necessidades do planeta.

ERRADO. Justificativa. A questão foi gravada em 1981.

LETRA B. Justificativa: O eu-lírico busca desfazer a visão clássica que se tem sobre o povo brasileiro e revelar a grandeza humana, reiterando sua singularidade.

LETRA D. Justificativa: Indica o processo de miscigenação.

CERTO. Justificativa: Arnaldo Antunes apresenta neologismos ao juntar palavras como uma estratégia poética para a miscigenação de raças e etnias do povo brasileiro.

CERTO. Justificativa: A dinâmica musical ajuda a reforçar o discurso político da canção.

ERRADO. Justificativa: mulato é a mistura do branco com negro e cafuzo a mistura de negros com índio.

ERRADO. Justificativa: Ney Matogrosso é conhecido por sua voz fina.

CERTO. Justificativa: Esse recurso de alternar fala e canto é claramente utilizado nas três obras.

ERRADO. Justificativa: Em Inclassificáveis não há utilização de violão.

CERTO. Justificativa: Não é necessário nenhum conhecimento da obra para responder a assertiva, já que a disparidade entre brancos e negros é evidente, principalmente no que tange à renda da população e seu acesso à educação.

ERRADO. Justificativa: Se refere ao céu de Brasília, que lembra o mar de tão azul.

ERRADO. Justificativa: Engels se tornou referência no ensino da gaita.

ERRADO. Justificativa: Além de instrumental, a obra também é vocal.

CERTO. Justificativa: É responsável pela formação da primeira geração de gaitistas de Brasília. Criou também um festival de gaitistas.

LETRA D. Justificativa: O autor deixa claro que essas características foram atribuídas pelo público. Além disso, as palavras tribunal e feicebuqui mostram a ironia utilizada pelo cantor para retratar o episódio.

CERTO. Justificativa: A música Tribunal do Feicebuqui reúne diversos elementos musicais diferentes. Desde o rock e pop internacional, rap até elementos do coco.

QUESTÃO ANULADA. Justificativa: Faz referências às críticas a Tom Zé por ter aceito dar voz ao comercial da Coca Cola.

CERTO. Justificativa: A música Tribunal do Feicebuqui, que deu o nome ao cd, ironiza as críticas que Tom Zé recebeu de forma divertida e leve.

ERRADO. Justificativa: A crítica é justamente o oposto do que sugere a assertiva.

CERTO. Justificativa: Tom Zé se defendeu (explicou) o acontecido em seu facebook.

CERTO. Justificativa: Se tornou muito conhecida nas redondezas do mercado de ferro Ver-o-Peso e na Praça da República.

ERRADO. Justificativa: Ficou famosa por levar o ritmo “acoxadinho” para fora do Pará.

ERRADO. Justificativa: A canção tem três seções.

CERTO. Justificativa: Através dessa música, Elza expõe a realidade sobre a violência masculina contra a mulher e convoca as vítimas para denunciarem seus agressores.

CERTO. Justificativa: Lyra (2017) aponta outro fato que chama a atenção na letra da música, que é a ênfase que o compositor deu ao número à Central de Atendimento à Mulher (180), conscientizando o ouvinte de como recorrer em casos de violência doméstica.

ERRADO. Justificativa: É um samba com mistura de música eletrônica.

ERRADO. Justificativa: Conta a história de uma mulher que toma consciência da violência que sofria e decide denunciar o agressor.

CERTO. Justificativa: Esse recurso de alternar fala e canto é claramente utilizado nas três obras.

CERTO. Justificativa: Chama atenção para a conservação e uso consciente da água, que se torna cada vez mais escassa.

ERRADO. Justificativa: Fala sobre o Rio Doce.

CERTO. Justificativa: Uma das primeiras influências musicais de Salgado foi a capoeira.

ERRADO. Justificativa: O trecho não evidencia posição firme e combativa em defesa das comunidades indígenas.

ERRADO. Justificativa: Bia canta acompanhada pelo violão.

E. Justificativa: Não possui essa estrutura e sequência.

CERTO. Justificativa: Em muitos trechos, incluindo o início, a cantora declama.

CERTO. Justificativa: Esse recurso de alternar fala e canto é claramente utilizado nas três obras.

ERRADO. Justificativa: Em Inclassificáveis não há utilização de violão.

ERRADO. Justificativa: A obra renascentista é estática e linear enquanto a barroca busca a ilusão de movimento.

CERTO. Justificativa: O barroco é conhecido por seus abruptos contrastes de áreas claras e escuras, utilizados para efeitos dramáticos e teatrais.

CERTO. Justificativa: O barroco foi ampliado progressivamente.

CERTO. Justificativa: Elementos modernos, como a ciência, o capitalismo e o estado nacional e elementos tradicionais vindos da religiosidade medieval. Essa síntese foi feita no bojo de uma reação conservadora contra a ascensão burguesa que se verificara durante a Renascença.

ERRADO. Justificativa: Embora o barroco se aproveitasse dos temas e técnicas renascentistas, se opunha de forma diametralmente oposta em seus valores morais. Enquanto o renascimento valorizava o progresso e racionalidade, o barroco era uma reação conservadora que apelava para a emocionalidade.

ERRADO. Justificativa: Bernini tinha 23 anos quando começou a esculpir O Rapto de Proserpina.

CERTO. Justificativa: Proserpina fica metade do ano com o marido e a outra metade com a sua mãe.

ERRADO. Justificativa: Proserpina não carrega nenhum troféu.

ERRADO. Justificativa: Foi pintada durante a expedição à Amazônia.

CERTO. Justificativa: Com toda essa pesquisa, o governo português tinha o objetivo de investigar as potencialidades econômicas da flora amazônica e a demarcação de territórios.

ERRADO. Justificativa: É uma ilustração científica.

ERRADO. Justificativa: A obra Anartia Olivacea não foi pintada no período da Guerra Peninsular.

CERTO. Justificativa: LeBrun era a pintora favorita da rainha e estas eram amigas íntimas.

CERTO. Justificativa: LeBrun foi uma das poucas mulheres admitidas na Academia Real, e isto não se deve só ao seu talento, mas também ao seu prestígio social.

CERTO. Justificativa: Devido ao prestígio de LeBrun, ela possuía alguma liberdade para deixar fluir o seu “gênio” artístico e não apenas reproduzir tradições pictóricas. Ela tentou romper com as limitações impostas aos retratos, através do desenvolvimento de novos critérios estéticos, improvisando uma grande variedade de posturas e trajes.

CERTO. Justificativa: Jacques-Louis David é considerado o artista que deu início ao Neoclassicismo, com sua pintura “O Juramento dos Horácios” (1784).

ERRADO. Justificativa: Buscou retorno dos valores clássicos.

ERRADO. Justificativa: Os rostos dos personagens são sem expressão.

CERTO. Justificativa: Suas obras eram voltadas para o retrato e representações de temas históricos e mitológicos.

ERRADO. Justificativa: Foi um importante pintor espanhol.

CERTO. Justificativa: A série retrata, sobretudo, a guerra da Independência entre espanhóis e franceses, que aconteceu entre 1808 e 1814. Goya não concordava que a guerra fosse uma forma de resolver questões políticas.

ERRADO. Justificativa: Apresenta vários corpos que foram executados pelo exército francês e, em primeiro plano, um homem que espera o momento da sua execução enquanto está preso e vendado.

ERRADO. Justificativa: O artista usou uma variação da calcografia.

CERTO. Justificativa: Nessa série de estampas, Goya retratou a Guerra da Independência entre franceses e espanhóis, mas com uma percepção particular da injustiça dos franceses contra os espanhóis.

ERRADO. Justificativa: Goya optou por um desenho mais direto para representar os horrores da guerra, mas não para enfatizar o drama.

CERTO. Justificativa: Goya buscou retratar a realidade do contexto em que vivia.

ERRADO. Justificativa: Sua conexão política não influenciou na seleção dos títulos da série.

CERTO. Justificativa: Apesar de produzida entre 1810 e 1815, a obra retrata a Guerra Peninsular, que começou em 1807/1808.

ERRADO. Justifiativa: A questão traduzida não está completa. A questão original diz que o pintor não estava presente nos acontecimentos por ser contemporâneo a eles. Por esse motivo estaria errada.  

ERRADO. Justificativa: Goya nos oferece uma visão de um novo ângulo da Guerra Peninsular.

ERRADO. Justificativa: Não faz alusão às guerras coloniais na África.

CERTO. Justificativa: Goya critica a guerra entre esses países, pois para ele, a guerra não é uma forma de resolver questões políticas.

ERRADO. Justificativa: É considerada um marco da terceira fase do barroco mineiro.

CERTO. Justificativa: Foi um importante artista do barroco brasileiro.

CERTO. Justificativa: A Igreja São Francisco de Assis é considerada uma das raras construções em que o projeto, talha e esculturas são de responsabilidade do mesmo artista.

ERRADO. Justificativa: A igreja fica em Ouro Preto.

CERTO. Justificativa: Ataíde apresenta uma glorificação de Nossa Senhora da Porciúncula cercada de anjos músicos.

CERTO. Justificativa: Essas são algumas das características das obras de Aleijadinho.

ERRADO. Justificativa: Rugendas utiliza a litogravura, enquanto Goya utiliza a calcogravura.

CERTO. Justificativa: Somente a partir de 1937 é que a capoeira foi considerada oficialmente esporte nacional.

CERTO. Justificativa: As obras de Rugendas sempre foram grandes fontes de pesquisa para a história da escravidão, do negro e do Brasil durante o período do Império.

ERRADO. Justificativa: A assertiva está errada por dois motivos: A obra é uma litogravura e há sim representação da figura feminina.

ERRADO. Justificativa: Não foi difundida pelos senhores de engenhos. À época era uma luta que os negros praticavam escondido de seus senhores, e quando não escondiam a prática, escondiam a intenção do jogo.

CERTO. Justificativa: Meirelles integrou seu quadro à onda do retrato de mulheres mortas e, ao mesmo tempo, ao que era ostensivamente buscado por poetas e artistas: um tema nacional. O pintor usou a personagem da literatura que pouco a pouco se cristalizava como brasileira, mesclada a fatos históricos.

ERRADO. Justificativa: O mundo artístico brasileiro esteve, durante grande parte do século XIX, pautado pela referência à Academia Imperial de Belas Artes e ao sistema de valores artísticos por ela propagados, que importavam, principalmente, os valores artísticos franceses.

CERTO. Justificativa: Por muito tempo, a pintura histórica foi concebida como o mais importante gênero, impondo-se sobre aqueles tidos como menores, como o retrato, a natureza-morta, a paisagem, entre outros.

CERTO. Justificativa: Qualquer que fosse a desculpa narrativa, as representações de mulheres belas e seguramente mortas foram o modo predileto dos pintores do final do século 19 de retratar o valor espiritual, transcendental do sacrifício passivo feminino. Uma vez que uma mulher está morta, ela se torna uma figura de proporções heroicas, passível de associação ao tema nacional.

LETRA A. Justificativa: Os contornos não eram utilizados, e sim as manchas de cor

LETRA C. Justificativa: Era isso que os impressionistas buscavam demonstrar, desenvolvendo algo que só poderia ser criado por meio da arte.

LETRA A. Justificativa: O que interessava eram as cenas naturais.

LETRA A. Justificativa: A luz era como que o próprio tema.

LETRA A: C. Justificativa: Os pintores impressionistas estavam impressionados com a arte japonesa, que há pouco vinha sendo transportada para a Europa; alguns eram até mesmo grandes colecionadores de gravuras japonesas, e sem dúvida a simplicidade do desenho e contraste com a tradição que conheciam teve grande impacto em sua pesquisa visual.
LETRA B: E. Justificativa: Eles não lutavam para conservar a tradição, e sim para transgredir. Por isso, as gravuras japonesas serviram como fonte de inspiração.
LETRA C: C. Justificativa: Claude Monet influenciou aqueles do seu círculo a, como ele, pintar ao livre.
LETRA D: C. Justificativa: Na natureza, o cenário e a luz se alteram rapidamente, o que obrigou os artistas a desenvolver uma técnica que acompanhasse o movimento.

CERTO. Justificativa: O costume da época era montar mulas ou jumentos em longas viagens, pois eram mais fortes e mais resistente.

CERTO. Justificativa: D. Pedro I não estava viajando com trajes de gala.

ERRADO. Justificativa: As obras do artista fazem parte do academicismo brasileiro e, consequentemente, carregam características do neoclassicismo europeu.

CERTO. Justificativa: A intenção do artista era retratar o momento de forma grandiosa e enaltecer o império e o nacionalismo.

ERRADO. Justificativa: O grito da independência foi proclamado em 1822.

LETRA D. Justificativa: Neste quadro, o mais importante são as cores que, como visto anteriormente, eram intensificadas. Na carta, é possível perceber que Van Gogh planeja o sentido das cores esteticamente, e não com a preocupação de conformação com a realidade.

LETRA A: E. Justificativa: Muitas das paisagens pintadas por Van Gogh eram pintadas ao ar-livre, hábito que herdara dos impressionistas.
LETRA B: E. Justificativa: Apesar de possuir uma pincelada característica, a técnica não é o principal no trabalho de Van Gogh.
LETRA C: C. Justificativa: Van Gogh tendia a intensificar as cores da realidade, sendo esse um marco característico em sua pintura.
LETRA D: C. Justificativa: Van Gogh evitava o trabalho de memória e preferia trabalhar a partir da referência, embora tenha trabalhado de memória em algumas exceções.

LETRA B. Justificativa: Para Van Gogh, a pintura não é o ato de estudar e tampouco modificar a natureza, mas extrair dela uma “verdade” invisível.

LETRA A: C. Justificativa: A qualidade Van Gogh como artista situa-se na capacidade de inventar soluções únicas para os problemas artísticos abertos pelos impressionistas e os que ele próprio formulara.
LETRA B: E. Justificativa: A pintura extrai a “verdade” do mundo.
LETRA C: C. Justificativa: Trata-se de como os artistas modernos farão leitura do trabalho de Van Gogh e darão para isto outro significado.
LETRA D: C. Justificativa: Pintar é uma atitude sensível em relação ao mundo.

CERTO. Justificativa: A fama de Jane Avril se proliferou graças aos seus trabalhos. O grande Moulin Rouge teve um sucesso arrebatador devido aos cartazes, desenvolvidos pelo referido pintor. São obras de arte que, por meio da massificação dos cartazes, se transformaram em meio publicitário.

CERTO. Justificativa: Afeta o urbanismo, a construção civil, a arte figurativa e decorativa, o vestuário, o ornamento pessoal e o espetáculo.

CERTO. Justificativa: Apresenta-se como estilo moderno, isto é, moda. Como a indústria acelera a velocidade de produção, é preciso acelerar a velocidade do consumo e substituição.

ERRADO. Justificativa: Pode-se citar, entre outras, Gerda Wegener. Em caso de interesse, checar o texto “feminino à toda prova”, de Bárbara Buril e/ou o filme “A Garota Dinamarquesa”.

CERTO. Justificativa: Apesar da art noveau ter sido apreciada apenas por um grupo muito restrito, em grande parte da classe média alta, o objetivo era ser um estilo massificado.

ERRADO. Justificativa: A art noveau rejeita o naturalismo.

ERRADO. Justificativa: Ilustra a perspectiva de defesa do branqueamento da população brasileira, ao representar como resultado da miscigenação entre negros e brancos, em uma mesma família, o nascimento de crianças brancas.

CERTO. Justificativa: Cam, filho de Noé, é castigado por ter olhado o pai nu e bêbado. Na verdade, o castigo divino é aplicado à sua descendência, que foi amaldiçoada para serem “servo dos servos”.

CERTO. Justificativa: De acordo com o delegado João Batista de Lacerda, convidado a participar da primeira edição do Congresso Universal das Raças em 1911, na Inglaterra, A Redenção de Cam foi uma obra construída de forma irrestrita em um contexto racista.

CERTO. Justificativa: O chão de terra se encontra em oposição ao de concreto.

CERTO. Justificativa: O fato de impulsionar a mestiçagem pelo pai, e não o contrário, coloca o homem como determinante na “evolução da espécie”, pois na época, unir a pele branca ao sexo masculino era sinônimo de perfeição.

ERRADO. Justificativa: Como o nome da obra sugere, o artista busca explicações na religião frente aos inúmeros projetos científicos da época que buscavam soluções para explicar a capacidade da pele de mudar de cor.

CERTO. Justificativa: A posição das mulheres na imagem sugere agradecimento pela família que estabeleceram.

CERTO. Justificativa: O conceito foi criado por Cartier Bresson.

CERTO. Justificativa: No fundo é possível ver um anúncio à esquerda e os anéis de metal lembram o circo. Os anúncios parecem espelhar a imagem do homem que está saltando pela água.

Voltou a Paris em 1932, e logo publicou sua primeira reportagem fotográfica. CERTO. Justificativa: Começou a levar a fotografia mais a sério e desenvolveu o seu próprio estilo de fotografia.

ERRADO. Justificativa: O personagem central é o Dr. Thomas Stockmann. A princípio o imaginamos como um pacato médico do interior, mas já nas primeiras páginas constata-se que ele é um indivíduo ativo, resoluto e participante das questões mais importantes de sua sociedade.

ERRADO. Justificativa: O drama de Ibsen é dividido em cinco atos, seguindo uma estrutura típica do drama realista do final do século XIX, que por sua vez herdara tal divisão do teatro do neoclassicismo.

CERTO. Justificativa: Um Inimigo do Povo (1882) retrata o conflito existente entre o individual e o coletivo, mostrando de que forma a população de uma pequena cidade-balneário da Noruega transforma o médico local de cidadão honrado em um inimigo do povo por conta de suas convicções a respeito da qualidade das águas que serviam os banhos públicos, fonte de riqueza para toda a cidade.

ERRADO. Justificativa: Temas como conflitos individuais e coletivos, morais e éticos, políticos e econômicos são comuns em peças teatrais, que além de ser um meio de entretenimento, tem muitas outras funções, como conscientizar.

ERRADO. Justificativa: Na obra a plateia não é convidada a participar das cenas.

ERRADO. Justificativa: Apesar da insalubridade, esses temas não são recorrentes em autos medievais.

CERTO. Justificativa: No trecho indicado, Peter (o prefeito) se mostra mais interessado nas questões políticas, e não no bem-estar da população.

CERTO. Justificativa: A peça gira toda em torno dos conceitos de justiça e corrupção, equidade e abuso do poder, castidade e volúpia, ou seja, de sentimentos conflitantes que não raro ocorrem num mesmo personagem.

CERTO. Justificativa: Os principais assuntos retratados em suas obras eram temas relacionados ao amor, sentimentalismo, questões de relacionamentos humanos e sociais.

ERRADO. Justificativa: Muito embora seja extremamente conhecido pelos sonetos, foi por meio da dramaturgia que Shakespeare se destacou e se tornou o ícone que é.

CERTO. Justificativa: Medida por Medida de William Shakespeare trata-se de uma peça que vai além do lúdico e do mero entretenimento.

ERRADO. Justificativa: O próprio documentário demonstra que até os dias atuais a cidade de Ceilândia segue sem receber atenção do governo e sem as devidas estruturas para acomodar a população

CERTO. Justificativa: O documentário tenta passar ao telespectador a experiência daqueles que foram retirados de suas moradias e forçados a se mudar para uma cidade afastada do centro e sem condições ideais de moradia, reforçando a exclusão e marginalização desses indivíduos.

CERTO. Justificativa: O Brasil é, como um todo, um país repleto de desigualdades sociais, cultural e econômicas e essas desigualdades se manifestam nos espaços geográficos em todo o território nacional.

CERTO. Justificativa: Assim como apresentado no documentário, uma política higienista é, como o próprio nome diz, uma tentativa de higienizar os espaços, retirando da vista dos sujeitos favorecidos socialmente os indivíduos que não se encaixam no espaço elitizado.

ERRADO. Justificativa: Uma das críticas latentes do documentário é demonstrar como, após retirar os indivíduos da Vila IAPI e os realocar na Ceilândia, o descaso do governo se estabeleceu, expresso na falta de investimentos e estrutura na cidade até os dias atuais.

ERRADO. Justificativa: As políticas higienistas costumam ser, na maioria das vezes, impostas de forma hierárquica, partindo do Estado para os indivíduos, assim como foi no caso das pessoas afetadas pela Campanha de Erradicação de Invasões.

CERTO. Justificativa: A exclusão é um projeto político porque é feito com a intencionalidade de um governo que deseja afastar os ‘’indesejados’’ cada vez mais dos centros de poder e acesso.

CERTO. Justificativa: Ao afastar cada vez mais certos grupos do centro, o Estado está, de forma simbólica, proibindo o acesso dessas pessoas a espaços de poder e centros de decisões importante, mantendo pessoas com maior poder aquisitivo vivenciando um espaço pouco plural e afastando de suas vistas as desigualdades de um país tão segregado.

ERRADO. Justificativa: Os investimentos e as percepções de Brasília e Ceilândia são completamente diferentes, evidenciados pelo documentário por meio das falas dos sujeitos e da própria estrutura física dessas cidades.

CERTO. Justificativa: O comprometimento de Adirley em mostrar as desigualdades entre centro e periferia é uma das marcas registradas do cineasta e que fica explícita no longa “A cidade é uma só?” de 2011.

ERRADO. Justificativa: Ensinam pouco e com superficialidade, mas ensinam. O que o vídeo mostra é a importância de destacar mais.

CERTO. Justificativa: A visão ensinada é muitas vezes só a visão do colonizador. Além disso, também não falam sobre o indígena contemporâneo, por isso as pessoas pensam que continuam do mesmo jeito, como no passado.

ERRADO. Justificativa: A tecnologia, se bem usada pelos povos indígenas, afirma suas culturas e tradições.

CERTO. Justificativa: Os avanços na tecnologia dispensam a preservação por meio oral, pois o armazenamento de áudio e vídeo é muito mais eficaz.

CERTO. Justificativa: O discurso de Djamila evidencia as desigualdades sociais, sobretudo as raciais e de gênero que perpassam a construção da sociedade brasileira, principalmente ao tratar dos silenciamentos dos mais oprimidos

ERRADO. Justificativa: Assim como evidenciado durante toda fala de Djamila, existem desigualdades raciais latentes no Brasil contemporâneo e essas desigualdades começaram a se desenvolver no passado escravista, que mantém suas estruturas simbólicas operantes até os dias atuais.

CERTO. Justificativa: O silêncio dos que foram historicamente oprimidos não é uma opção, mas sim uma imposição, enquanto o silêncio dos sujeitos que se beneficiam dessa desigualdade é uma escolha por manter seus próprios privilégios.

ERRADO. Justificativa: As intersecções que ocorrem entre gênero e raça permitem que as mulheres negras sejam duplamente afetadas e correspondam ao grupo social mais vulnerável em uma sociedade patriarcal e racista.

ERRADO. Justificativa: As pautas identitárias surgem juntamente com a ascensão da pós-modernidade, que vem em contraponto à modernidade e ao pensamento iluminista que pregava uma ideia totalizante de progresso.

CERTO. Justificativa: Após quase 400 anos de escravidão, o Brasil não tomou medidas de inserção da comunidade negra em espaços de poder e compartilhamento de saber, marginalizando todo um grupo de pessoas e não debatendo questões importantes em uma sociedade tão estratificada, o que promove uma desigualdade latente até os dias atuais.

CERTO. Justificativa: Existem inúmeras formas de violência, uma delas é a violência simbólica, conceito apresentado por Pierre Bourdieu, que se apresenta como uma violência subjetiva que atua de forma mascarada e não permite que os sujeitos envolvidos na relação percebam a opressão sofrida. Ao silenciar um grupo de pessoas, menosprezar sua fala e lógica de pensamento, o sujeito que desvaloriza está agindo de forma violenta, colaborando para uma lógica de exclusão desses grupos.

ERRADO. Justificativa: Assim como as mulheres negras passam por uma intersecção de violência, os homens negros também o fazem ao não serem valorizados como os homens brancos. A desigualdade racial contribui para que os homens negros se encontrem em posição de subalternidade até mesmo em relação às mulheres brancas, uma marca que vem do período escravocrata.

CERTO. Justificativa: A sociedade brasileira, por se basear em um ideal eurocêntrico durante um longo período de tempo, estabeleceu uma desigualdade racial e de gênero que coloca homens brancos em uma posição de total autonomia e intelectualidade. Dessa maneira, a mulher branca em servidão a esse homem branco e o homem e a mulher negros enquanto subalternos, colaboram para que o gênero ainda predomine e coloque as mulheres negras abaixo também dos homens negros, produzindo uma pirâmide que se divide por raça e subdivide por gênero.

CERTO. Justificativa: Uma vez que mulheres negras sofrem violência por serem mulheres e por serem negras, as pautas voltadas apenas para mulheres brancas acaba não abarcando as necessidades desse grupo social. Um exemplo de fácil visualização é a luta das mulheres brancas para ingressarem no mercado de trabalho, enquanto as mulheres negras encontram-se trabalhando desde a concepção da sociedade brasileira, inclusive em posições de trabalho julgadas inferiores e que costumam ser mal pagas, como o trabalho doméstico, por exemplo.

CERTO. Justificativa: A Amazônia, ou Floresta Amazônica, é a principal floresta tropical do mundo. Ela não está somente no Brasil, mas em outros 8 países: Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Peru, Suriname e Venezuela.

ERRADO. Justificativa: A fragmentação altera o funcionamento biológico da Floresta Amazônica, que regula o clima sobre a região. A floresta controla o balanço de energia, o fluxo de calor latente e sensível, o vapor d’água e os núcleos de condensação de nuvem que vão intensificar o ciclo hidrológico. E isso só é possível se houver uma extensão muito grande de floresta. Quando ela é fragmentada, deixa de ter essa propriedade.

CERTO. Justificativa: Enquanto a vegetação estiver no seu estado natural de funcionamento, o armazenamento de carbono será feito. A partir do momento em que há o desmatamento, todo o carbono armazenado é liberado, o que faz da Amazônia um armazém e uma arma em potencial.

CERTO. Justificativa: O desmatamento sempre tem uma motivação econômica.

ERRADO. Justificativa: A exploração econômica irresponsável deve ser combatida.

CERTO. Justificativa: Em um mundo em aquecimento, um país que tem um ativo florestal como o Brasil, é detentor de grande poder econômico.

ERRADO. Justificativa: É preciso reconhecer a Amazônia como um grande processo de irrigação. A alimentação que é produzida no Brasil depende e dependerá desse sistema gigante de irrigação, que é a floresta amazônica sendo mantida em pé. Assim, o agronegócio, na verdade, depende de toda a enorme área da Amazônia.

CERTO. Justificativa: A natureza é o foco principal do documentário.

CERTO. Justificativa: O Cerrado é considerado a caixa d´água do Brasil, responsável, por exemplo, por 94% da água que corre no Rio São Francisco.

ERRADO. Justificativa: O objetivo da sua produção foi popularizar o conhecimento científico sobre a biodiversidade nos parques nacionais e outras unidades de conservação brasileiras.

ERRADO. Justificativa: O foco da produção foi enfatizar a relação entre o meio ambiente, a saúde e a qualidade de vida das pessoas.

CERTO. Justificativa: Nem sempre o agronegócio é um risco, mas em boa parte não há um equilíbrio entre o crescimento do agronegócio e a preservação da natureza.

CERTO. Justificativa: O Parque Nacional da Serra da Canastra localiza-se no sudoeste de Minas Gerais, ao norte do Rio Grande. É composto por várias características do bioma Cerrado, com predomínio de vários tipos de campos.

CERTO. Justificativa: O Parque concentra mais de uma bacia em sua região.

ERRADO. Justificativa: Não se pode confundir a exploração do gênero textual diário no enredo do documentário com imparcialidade, pois a realidade é relatada conforme a subjetividade de quem a relata.

ERRADO. Justificativa: Documentário é um filme não-ficcional que se caracteriza pelo compromisso da exploração da realidade.

ERRADO. Justificativa: O documentário, assim como o cinema de ficção, é uma representação parcial e subjetiva da realidade.

ERRADO. Justificativa: É um software livre que é usado pela FUNAI e algumas instituições para a proteção dos povos indígenas. Entretanto, certamente pessoas e instituições fazem uso da ferramenta com planejamento de ações contrárias a proteção do índio.

CERTO. Justificativa: A reflexão é ampliada na medida em que é possível perceber, por meio da plataforma, o quanto o país é diverso e o quanto a história da sociedade foi construída de forma não linear.

CERTO. Justificativa: A Plataforma de Geoprocessamento da FUNAI mostra dados sobre a identidade indígena, o reconhecimento da sua existência e as condições em que vive atualmente.

ERRADO. Justificativa: A Plataforma de Geoprocessamento da FUNAI permite, sim, a velocidade da informação e o tratamento refinado dos dados, mas não o faz de maneira privada.

ERRADO. Justificativa: É uma ferramenta que, além de coletar dados, permite a geração de geoinformação.

ERRADO. Justificativa: O geoprocessamento anda lado a lado com a cartografia. Podemos dizer que a cartografia apresenta as formas de representação dos dados para os processos que ocorrem no espaço geográfico e o geoprocessamento faz um tratamento desses dados resultando em geoinformações.

CERTO. Justificativa: O nome técnico, na verdade, é geoinformação. Mas, sempre, vem acompanhada de coordenados geográficas (longitude, latitude e altitude).

ERRADO. Justificativa: Não existe nenhum elemento na narrativa que coloque em dúvida o que está sendo descrito.

CERTO. Justificativa: Cândido é um exemplo de cidadão que encontrou no ofício de capturador de escravos, uma forma de sustento, e ao longo do conto o narrador também fala que outras pessoas foram entrando no ofício por dificuldades de sustento em outras áreas.

CERTO. Justificativa: Realmente o racismo não é o tema preponderante nas obras de Machado de Assis. Existe a temática racista, mas de uma forma mais implícita. O que é marcante são as relações sociais, crítica social, independente de cor.

LETRA C. Justificativa: Anteriormente no parágrafo, o narrador fala sobre a pancada, que era uma forma de agredir os escravos. A palavra “ação”, remete à essas agressões.

LETRA D. Justificativa: O verbo: cuidemos é o que indica a intromissão do narrador, em todos os outros itens, ele apenas está expondo fatos, de forma impessoal. Mas quando ele diz cuidemos, existe um sujeito oculto que é o “nós”. E o “nós” inclui a pessoa que fala, no caso, o narrador.

LETRA B. Justificativa: O verbo “levar”, na oração em que está inserido, é acompanhado de dois complementos: o objeto direto “o”, que faz referência a “um escravo”, e o indireto “lhe” (a ele), que faz referência a “quem”. Ambos os pronomes estão fundidos na forma “lho”.

LETRA A. Justificativa: Acoitar significa abrigar, proteger, esconder.

LETRA E. Justificativa: Todo o parágrafo está falando sobre o ofício de capturar escravos fugidos e devolvê-los à seus proprietários, os outros itens falam sobre proteção aos escravos de certa forma, cooperando para que a vida deles fosse mais justa. Todavia em nenhum momento o parágrafo dá a entender o que os itens anteriores afirmam, o parágrafo só descreve exatamente o que diz o item E “restituir os escravos fugidos a seus proprietários”. Dar ordem à desordem, é basicamente um resumo do ofício de capturar escravos, e ofício consiste no que o item descreve.

ERRADO. Justificativa: A narrativa de fato é feita em terceira pessoa, mas o tempo é cronológico, não existem flashbacks. E jamais a narrativa de Machado de Assis nem do Realismo possui emoção ou subjetividade, os textos realistas são marcados pela razão e objetividade.

LETRA E. Justificativa: Entranhas está em sentido metafórico, afinal entranhas é uma coisa física, coração, tripas, etc; Então o século não pode ter entranhas, mas nesse contexto, entende-se entranhas como algo profundo, sendo então, o sentido figurado de entranhas.

LETRA D. Justificativa: No trecho, o Diabo fala sobre um mundo material, e a frase “Meu reino não é deste mundo”, fala sobre um mundo espiritual.

LETRA B. Justificativa: Interrogação, porque no último parágrafo o Diabo só faz interrogações: “porque são a tua própria consciência, isto é, tu mesmo? Negá-lo é cair no absurdo e no contraditório. Pois não há mulheres que vendem os cabelos? não pode um homem vender uma parte do seu sangue para transfundir-lo a outro homem anêmico? e o sangue e os cabelos, partes físicas, terão um privilégio que se nega ao caráter, à porção moral do homem?”

LETRA A. Justificativa: A palavra reabilitada, tem o significado de habilitada novamente, o prefixo “re”, dá essa ideia de repetição, como em revisitada, relembrada, etc. Em infinito, o prefixo “in” apresenta essa noção de negação , ou seja, “não finito”, uma coisa que não tem fim. Como em incalculável, uma coisa que não é calculável, inacreditável, uma coisa que não dá para crer.

LETRA C. Justificativa: O primeiro “a” antecede um substantivo, sendo assim, é um artigo definido. E o segundo “a” vem acompanhado de um verbo, então existe ali uma locução verbal que pede por uma preposição.

LETRA D. Justificativa: A solidariedade jamais poderia ser a ação mais importante na Igreja do Diabo, primeiro porque isso é uma ação boa e cristã, e é tudo o que o Diabo mais rejeita e nega. Depois, o amor ao próximo era completamente rejeitado na regra da Igreja do Diabo.

LETRA A. Justificativa: Logo no início o Diabo fala da sua descontentação com o fato de que seus ideais não possuíam uma organização própria, um ritual próprio e por esse motivo ele gostaria de ter uma Igreja.

LETRA B. Justificativa: Universal na frase tem o sentido de geral, de abranger todos os espíritos.

LETRA D. Justificativa: A Igreja Católica é atingida por ironia no trecho destacado neste item, porque aqui apresenta-se artifícios usados nessa instituição: o vinho, a missa, o pão, entre outros. Todos esses artifícios serão usados, ironicamente, na Igreja do Diabo.

LETRA A. Justificativa: Capa de algodão é uma metáfora para o mal, e franjas de veludo é uma metáfora para um pedaço de bem. O veludo é um tecido muito mais nobre do que o algodão.

LETRA C. Justificativa: Na verdade é o contrário. Quem mostra-se descrente de bruxarias, tarô e magias é Camilo. Rita não se mostra descrente.

LETRA D. Justificativa: Não existe final feliz em a Cartomante, e o que essa revela como destino do casal não acontece. Afinal, ela diz que eles viverão o amor em paz, e no final eles morrem.

LETRA C. Justificativa: A narração é feita em terceira pessoa e a descrição de narrador onisciente é justamente essa: aquele que tudo sabe e tudo vê.

LETRA C. Justificativa: Jamais uma narrativa Realista vai ser feita de forma subjetiva e idealizadora. A narração é feita de forma objetiva, o mais próximo da realidade, onde a mulher não é mais idealizada como acontecia no Romantismo.

LETRA B. Justificativa: Qualquer tipo de violência contra a mulher, independente do contexto, é vista de forma criminosa pela lei.

ERRADO. Justificativa: A Cartomante não é uma obra tão grotesca como as obras naturalistas são. Na realidade, ela é obra Realista.

ERRADO. Justificativa: A narrativa não deixa claro quem era o remetente das cartas.

CERTO. Justificativa: A narrativa Realista tenta ser o mais próximo da realidade, sendo a verossimilhança uma característica presente no movimento.

CERTO. Justificativa: Logo no início do texto, Machado de Assis transcreve a fala de Hamlet.

ERRADO. Justificativa: Uma das características da obra é justamente a análise psicológica dos personagens, então é possível, sim, saber seus pensamentos e sentimentos.

LETRA D. Justificativa: Quando o personagem recebe a notícia da herança, calcula o que vai fazer com ela, observando as coisas que as pessoas falam sobre o coronel, e como sua consciência se sente com relação a isso. Em nenhum momento ele entrega a decisão ao acaso, como afirma o item A. Não é por odiar o coronel, nem por não querer revelar sua ambição que o protagonista fica um pouco ressabiado de receber a herança, mas sim por estar com a consciência pesada, ao contrário do que afirma o item B e o item C. Logo, se a sociedade nem sabia que ele tinha uma dívida moral, não é por esse motivo que ele pensa em doar a herança, mas sim, por uma questão moral dele, com ele mesmo, e não com a sociedade, tornando o item D incorreto também.

LETRA D. Justificativa: O item demonstra claramente uma mudança de rumo, em que o personagem vai estrada afora em busca de outro caminho. O item A e B descrevem muito mais uma repetição de ideia e não falam sobre mudança. O item C e E nada têm a ver com mudança de rumo e ideia.

LETRA D. Justificativa: A afirmação I está incorreta, pois o paciente morreu por esganamento mesmo, e não por aneurisma como afirma o item. A afirmação III está incorreta, já que ele cuida dos restos mortais por peso na consciência e para que ninguém desconfiasse do seu crime, e não por ser uma pessoa religiosa. A afirmação IV está incorreta, pois a frase citada é muito mais para expressar seu choque por ter assassinado uma pessoa, do que por considerá-lo um irmão e ter dedicação a ele. Em relação ao irmão inserido nessa situação, é mais no sentido religioso de todos termos vindo do mesmo lugar, do que de consideração por ele como um irmão de sangue, uma espécie de carinho e laço. Sendo assim, apenas as afirmações II e V, possuem sustentação no conto.

LETRA C. Justificativa: O item A está incorreto, porque o crime e as atitudes doentias não são o ponto principal da obra, e sim o que o homem faz quando se vê frente a essas questões. O item B está incorreto, porque se o homem obedecesse à moral cristã, nem teria matado outro homem, ou ao menos teria se confessado à um padre, e isso não aparece na obra. O item D é muito vago, “por que o que são normas éticas universais? E receber a herança de uma pessoa que você matou, estaria dentro de uma ética universal?”. Já o item E não tem sustentação nenhuma no conto, pois não aparecem negros na história. O item C é único correto, posto que realmente o que existe no conto é uma análise do comportamento humano em função das relações sociais, como o personagem se comporta perante sua relação com o enfermo, como ele comportava perante o que poderiam julgar dele, etc .

LETRA D. Justificativa: Os item A e B estão incorretos porque não é característica do Realismo, muito menos de Machado de Assis o qual utiliza a linguagem subjetiva, emotiva e imaginativa. O item C está incorreto, pois o texto não é escrito em terceira pessoa, e sim em primeira pessoa, além de não ser do gênero épico. Item E está incorreto dado que não é uma obra dramática. Item D está correto, porque a estrutura da narração do conto é exatamente essa: descrição do espaço e o que acontecia naquele espaço, de forma objetiva e clara.

LETRA B. Justificativa: O item está correto, porque em O Enfermeiro, o protagonista, assassina seu paciente simplesmente por impulso, sem intenção. Depois fica cheio de remorso, não sendo uma pessoa completamente má, já que pensa inclusive em doar o dinheiro da herança como uma forma de se acertar com o peso na consciência que sentia. E em Pai contra Mãe, Cândido acaba por provocar um aborto em uma escrava, mas não por maldade, simplesmente para conseguir um dinheiro para sustentar seu filho.

LETRA B. Justificativa: O enfermeiro não era louco, ele apenas foi se defender, então o item A está incorreto. . Diante disso, o item C está incorreto porque novamente, o enfermeiro tinha intenção apenas de se defender e não de matar, mas acabou se excedendo. Item D está incorreto uma vez que o coronel não morreu devido a seu aneurisma, e sim por esganamento que provocou o rompimento do aneurisma. O aneurisma não é a causa da morte, e sim o esganamento. O coronel não bateu no enfermeiro, ele jogou uma moringa em sua cabeça. Arremessar um objeto e bater em alguém são duas ações diferentes. Portanto, conclui-se que no item B, o coronel estava doente.

LETRA B. Não há nada de otimista em uma narrativa em que há um homem doente e agressivo, o qual este é assassinado por seu enfermeiro.

ERRADO. Justificativa: Procópio não é completamente indiferente ao seu paciente, já que no início ele ainda tenta ter a simpatia do coronel. Também não demonstra sinais de psicopatia só por ter matado o enfermo, pois sente remorso depois do acontecido e se arrepende do que fez.

LETRA D. Justificativa: É a única alternativa que não apresenta nenhum indício de um comportamento humano explicado por leis biológicas, o ‘vício’ é mais um instrumento de linguagem do autor para denotar um exagero em relação a paixão de Adolfo.

LETRA E. Justificativa: Em “a”, a lua não é descrita com objetividade: “misto de névoa e luz, alma e solidão, melancolizava o largo cenário das ondas”. Em “b” não há prova da descrição com minúcia o pensamento do personagem. Em “c”, não é Amaro que está sendo descrito e sim Aleixo. Em “d”, não são pistas da vingança.

LETRA A. Justificativa: O naturalismo tentava explicar seu posicionamento perante a condição social e humana por meio de conhecimentos científicos. Além disso, não há referência ao cenário natural, já que a prosa naturalista atua em um cenário urbano e que reflete a condição dos indivíduos, de acordo com o meio em que estão inseridos.

LETRA E. Justificativa: É a única interpretação possível da expressão.

LETRA B. Justificativa: As alternativas 2 e 3 estão erradas, pois citam características do romantismo que não existem no trecho.

LETRA E. Justificativa: O encontro com Herculano aconteceu no hospital e as palavras dele causaram indignação em Amaro, apesar dele já desconfiar de Aleixo, pela sua ausência e falta de resposta.

LETRA C. Justificativa: “Excitando-o” se refere a Amaro e “Maltratando-o” a Aleixo.

LETRA B. Justificativa: Em 2, a narrativa não é extremamente rápida, sendo na verdade bastante descritiva e detalhada. Em 3, não há subjetividade na descrição do espaço nesse trecho, mas é apresentado de forma crua.

LETRA A: V. Justificativa: Em o Bom-Crioulo predomina o Naturalismo, mas há traços do romantismo.

LETRA B: F. Justificativa: O Bom-Crioulo é uma obra do naturalismo brasileiro literário e não pode ser considerada do romantismo, pois não há predominância de personagens idealizados, mas sim de seres humanos reais e com desejos biológicos.

LETRA C: F. Justificativa: A obra segue fielmente o naturalismo.

LETRA D: V. Justificativa: Os princípios do Realismo e Naturalismo são antagônicos ao do Romantismo.

LETRA C. Justificativa: “c”, é a única que se enquadra no ideal naturalista. O naturalismo não tinha como ideal central a denúncia contra a exploração, como cita em “a”. Em “b”, vemos princípios do Realismo e não do Naturalismo presente na obra. Já em “d”, idealização do amor é um aspecto do Romantismo.

LETRA A. Justificativa: O romantismo nasceu na época pós-independência. Nesta época, os escritores buscavam por uma identidade do país e, por isso, preferiam exaltar a cultura e os elementos brasileiros.

LETRA C. Justificativa: O Romantismo nasceu no período pós-independência. As preocupações dos poetas nesse período eram as figuras brasileiras – natureza e o índio. Suas intenções concentravam-se em exaltar o país por meio desses elementos.

LETRA C. Justificativa: A primeira geração romântica tinha o período pós-independência como pano de fundo de suas produções. Nesta época, os brasileiros buscavam por uma nova identidade do país justamente por causa deste contexto histórico. Daí, vem as características nacionalistas que exaltavam a figura do índio e a natureza, ambos figuras brasileiras. Álvares de Azevedo tem a sua primeira publicação feita em 1850, enquanto Casimiro de Abreu em 1859 e Fagundes Varela em 1861. Todos os autores eram considerados ultrarromânticos pelo tema pessimista, mórbido e triste de suas poesias.

LETRA C. Justificativa: Os poetas romantistas procuravam a fuga à realidade por intermédio do idealismo, sobretudo à figura feminina, uma tentativa saciar suas insatisfações com o presente. A poesia lírica é o formato clássico do movimento, geralmente escrita em 1ª pessoa do singular (egocentrismo).

LETRA C. Justificativa: O romantismo, ao contrário do parnasianismo, não prezava pela forma, e sim pelo desabafo e pelo lirismo. Sendo assim, não existia qualquer espécie de formalidade.

LETRA E. Justificativa: Essas características são da escola literária Barroca no século XVII.

LETRA A. Justificativa: A ironia e a autoironia são características da obra de Álvares de Azevedo, sobretudo no livro Lira dos vinte anos, no qual muitas vezes dirige o seu sarcasmo contra os poetas ultrarromânticos.

LETRA E. Justificativa: As características descritas nas proposições III e IV fazem referência a aspectos da obra do poeta Castro Alves.

LETRA A. Justificativa: O poema lírico é o clássico do Romantismo, feito para ser cantado. Já a evidência da conjugação da pessoa, 1ª do singular, é evidenciada por meio dos pronomes possessivos, “minha” e “meu”, e dos verbos conjugados na 1ª pessoa do singular, como o ir, conjugado como “vou”.

LETRA B. Justificativa: Mediante das expressões “Vou ficando blasé: passeio os dias/Pelo meu corredor, sem companheiro,/Sem ler, nem poetar… Vivo fumando,”, nota-se o tédio e o desânimo na fala do narrador.

LETRA A. Justificativa: Considerando a ideia do desinteresse e tédio, a exaltação no excerto feita pelo eu-lírico passa a ter ideia irônica, uma vez que os dois extremos (tédio e elogios) não se correspondem.

LETRA B. Justificativa: O livro Lira dos Vinte Anos, inclusive no qual “Ideias Íntimas” está inserido, foi escrito por Álvares de Azevedo e publicado postumamente em 1853.

LETRA C. Justificativa: Na quadra de Álvares de Azevedo, temos a predominância da idealização feminina. No Romantismo, era comum que o eu lírico estabelecesse uma analogia entre a amada e seres angelicais ou infantis, remetendo à inocência e pureza. No texto, o autor compara o elemento feminino com uma virgem, o que também expressa a candura exercida por esse elemento, como também, a relação de que a mesma seja inatingível.

LETRA A. Justificativa: Uma das principais características da 2ª geração Romântica é a individualidade, o egocentrismo propagado pelo eu lírico para expressar seu sentimentos na poesia. Além disso, pode-se observar um carga predominante nas poesias sobre a função emotiva da linguagem, que se sobrepõe à estrutura romântica da época.

LETRA B. Justificativa: Esse lirismo melancólico, uma das principais características da poesia de Álvares de Azevedo, pode ser encontrado nos versos “Do leito embalde no macio encosto/ Tento o sono reter!… já esmorece/ O corpo exausto que o repouso esquece…/ Eis o estado em que a mágoa me tem posto!”

LETRA C. Justificativa: As características descritas na alternativa “c” dizem respeito à primeira geração do romantismo, representada pelos poetas Gonçalves Dias, Gonçalves de Magalhães e José de Alencar, representantes da chamada “literatura indianista” brasileira.

CERTO. Justificativa: O sentimentalismo exacerbado é uma das marcas do Romantismo, sobretudo em sua segunda fase. Esse recurso pode ser visto logo nos versos iniciais de Meus Oito Anos, “Oh, que saudades que sinto/Da aurora da minha vida/Da minha infância queria/Que os anos não trazem mais”, em que é visível a nostalgia sobre o período da infância.

ERRADO. Justificativa: O poema apresenta muitos elementos geográficos e a exaltação do local de infância do poeta, mas não pode ser considerado nacionalista apenas por isso. Ademais, seus versos não são livres: a divisão em sílabas poéticas nos dará versos de sete sílabas, conhecidos como redondilha maior.

ERRADO. Justificativa: Apesar de não apresentar todas as características marcantes de sua fase, Meus Oito Anos ainda traz muitas delas, como o sentimentalismo, o saudosismo e a evasão da realidade, assim, não se pode dizer que rompeu com o período em que se insere.

ERRADO. Justificativa: Como explicado na justificativa da questão 2, os versos são redondilhas maiores, ou seja, seguem uma métrica formal, não são considerados versos livres.

CERTO. Justificativa: O texto é uma “imitação”, que brinca com a estrutura de outro com um fim satírico, o que descreve o gênero paródia.

ERRADO. Justificativa: A intertextualidade é bem expressa em ambos os textos, inclusive pela homonímia entre os títulos de um dele e o poema original. Assim, não é preciso inferir a relação entre eles, de modo que a intertextualidade é explícita.

ERRADO. Justificativa: O texto servir de referência para obras futuras não mostra qualquer garantia de que ele também não tenha se referido à outras obras. No caso de Meus Oito Anos, inclusive, existe uma intertextualidade com um poema de Victor Hugo.

LETRA A. Justificativa: Não ocorre colagem de diversos textos, apenas de um, de modo que não é uma bricolagem; a ideia central do texto é alterada, de modo que não se trata de uma paráfrase; não se caracteriza como plágio, pois não há a ocultação da fonte original, tampouco foi feita uma apropriação de forma ilícita; por fim, é de fato a recriação de um texto, em tom jocoso e crítico, caracterizando-se como uma paródia.

LETRA C. Justificativa: A estrofe citada não apresenta qualquer elemento sobre família, paisagem ou relações românticas, enquanto a nostalgia sobre a infância está bem evidente.

LETRA B. Justificativa: Não há exaltação da nação, como no nacionalismo, a menção à reza não é suficiente para caracterizar todo o texto como religioso, não trata de problemas sociais, como no condoreirismo, não há qualquer temática medieval e tampouco referência à romance. A única opção possível é a do sentimentalismo e saudosismo, que permeiam todo o texto.

LETRA A. Justificativa: A lírica de Castro Alves envolve várias vertentes como, por exemplo, o engajamento social sobre os seus anseios democráticos; a aproximação com a natureza; o sentimentalismo romântico unido ao sensualismo da mulher, como também, a erotização do elemento feminino. Alguns aspectos presentes em outras alternativas, como o titanismo, o orientalismo e a aspiração de absoluto não se encaixam na escola romântica.

LETRA E. Justificativa: Nos versos de Castro Alves, percebemos a presença das apóstrofes “Ó mar!”, “astros!”, “tufão!”, “noite!”, “tempestades!”. As apóstrofes são figuras de linguagem que cumprem a função de um vocativo, a partir de elemento personificados. Com isso, o eu lírico evoca a elementos da natureza para enfatizar seu desespero.

LETRA E. Justificativa: A geração condoreira, terceira na época romântica, na qual Castro Alves estava inserido, era conhecida por tratar de questões sociais como abolicionismo. Castro Alves era conhecido como “poeta dos escravos” por isso.

LETRA C. Justificativa: Os versos do poema “O vidente”, de Castro Alves, demonstram o pensamento liberal-cristão do poeta, fortemente identificado com a causa dos oprimidos socialmente, isto é, com os escravos.

LETRA C. Justificativa: A preocupação do condoreirismo estava relacionada ao abolicionismo.

LETRA D. Justificativa: A literatura produzida por Castro Alves representou um momento de maturidade e transição da Literatura Brasileira ao romper com o ideário ultrarromântico. Retratou o lado feio e obscuro da pátria, como a escravidão dos negros, bem como a opressão e a ignorância do povo Brasil.

LETRA A. Justificativa: As características mencionadas são do movimento parnasiano. O romantismo prezava pela individualidade do autor, principalmente pessimista e com idealizações ao feminino. A forma das poesias não era uma preocupação deste movimento.

LETRA C. Justificativa: O poema pertence ao movimento romântico, com características de uma narrativa poética. Esse geração é conhecida como Geração Condoreira.

LETRA B. Justificativa: As características descritas na alternativa “b” fazem referência ao poeta Cruz e Sousa, principal representante do Simbolismo brasileiro.

LETRA C. Justificativa: A poesia de Castro Alves concentra-se na temática abolicionista além do amor e da idealização à figura feminina de forma mais concreta que na primeira geração romântica. Não possui ligações com o barroco, movimento literário ocorrido muito antes do romantismo.

LETRA B. Justificativa: Os poemas parnasianos possuíam regras exigentes em relação à métrica, o chamado “arte pela arte”, com o objetivo de alcançar a perfeição.

LETRA E. Justificativa: O objetivo do Parnasianismo não era de cunho social ou religioso. Também não preocupava-se com a noção de progresso de sua época. O movimento priorizava a perfeição mediante as regras rígidas de métrica e versificação.

LETRA B. Justificativa: O parnasianismo era exatamente o oposto do sentimentalismo; o movimento literário culturava a razão e a perfeição acima de tudo.

LETRA C. Justificativa: Com o lema “arte pela arte”, o Parnasianismo defendia a razão e a valorização da forma, em contraponto a qualquer manifestação sentimental que fugisse da metrificação.

LETRA C. Justificativa: O texto de Gonçalves Dias, principal autor da 1ª Geração Romântica, retoma elementos do Trovadorismo. Essa característica é confirmada a partir da associação com as cantigas de amigo, em que presencia-se um eu lírico feminino que visa manter um contato com o amado que está distante (no século XIV, o amada havia partido à guerra), desejando o seu retorno. Além disso, percebemos o utilização e o aproveitamento da sonoridade da língua indígena, como “bagari” e a associação do eu lírico ao cenário natural.

LETRA E. Justificativa: Esta característica pertence ao Romantismo. Já o Parnasianismo fazia oposição ao Romantismo, distanciando-se dos temas sociais, pois a sua preocupação maior era a forma em busca da perfeição.

LETRA C. Justificativa: A forma era a preocupação maior dos parsianistas, o famoso lema “arte pela arte”. A valorização dos elementos naturais encontra-se mais concentrada na primeira geração romântica.

LETRA B. Justificativa: A preocupação com a forma leva o Parnasianismo ao culto à perfeição formal, “arte pela arte”, diretamente ligado ao esteticismo, que possui objetivos estéticos, relacionados à forma.O movimento, em oposição ao realismo, rejeita qualquer vínculo com a realidade.

LETRA A. Justificativa: “A reflexão proposta por Raimundo Correia traz à tona a dissimulação presente na sociedade (não só da época, como ainda atual), que precisa existir devido às normas de convivência. Por isso, as pessoas vestem a “máscara da face” e tornam invisíveis os sofrimentos, permitindo transpassar apenas falsos sorrisos e alegrias.

LETRA A. Justificativa: Não há no Parnasianismo, enquanto movimento, preocupação com universalismo, desprezo pela forma requintada ou “arte-sugestão”, sobrando, portanto, apenas a alternativa A como correta.

CERTO. Justificativa: A própria máscara é uma metáfora para o ato de esconder o que se é.

ERRADO. Justificativa: São versos decassílabos com esquema de rimas constante.

C. Justificativa: A obra é um soneto, estrutura muito valorizada no Parnasianismo.

CERTO. Justificativa: Prosopopeia consiste em atribuir características ou ações humanas ao que não é humano, como o espírito.

ERRADO. Justificativa: O esquema empregado é o ABAB.

CERTO. Justificativa: É o que diz o trecho “Se se pudesse, o espírito que chora,/Ver através da máscara da face,/Quanta gente, talvez, que inveja agora/Nos causa, então piedade nos causasse! ”

ERRADO. Justificativa: Não há nenhum movimento que preze por uma única característica.

LETRA C. Justificativa: A valorização da forma é a característica mais marcante do Parnasianismo.

LETRA A. Justificativa: O verso pode ser reescrito como “Poeta, você é o grande Assinalado, que povoa com belezas eternas, pouco a pouco, o mundo despovoado”.

LETRA D. Justificativa: O trecho mostra que, se despidas das máscaras, as pessoas se mostrariam de forma completamente diferente, que é o resumido pela alternativa correta.

ERRADO. Justificativa: O Assinalado é uma obra simbolista, e não parnasiana.

CERTO. Justificativa: Apresenta até mais: antítese, aliteração e prosopopeia.

ERRADO. Justificativa: É um poema sobre o fazer poeta, não é preciso de mais nada para caracterizar a metalinguagem.

ERRADO. Justificativa: São rimas interpoladas.

ERRADO. Justificativa: São versos decassílabos.

CERTO. Justificativa: O eu-lírico conversa com a mesma pessoa por todo o poema, chamando-a por essas três alcunhas.

CERTO. Justificativa: Antítese: “povoas o mundo despovoado”; prosopopeia: “Faz que tua alma suplicando gema”.

CERTO. Justificativa: Um exemplo está em “espasmos imortais de louco”.

E. Justificativa: Todas as características listadas dizem respeito ao Simbolismo, exceto a da alternativa E, que elenca elementos do Romantismo.

CERTO. Justificativa: As reticências sugerem uma pausa que dá ritmo ao poema, enaltecendo sua musicalidade.

ERRADO. Justificativa: A frase em questão é um exemplo de hipérbato – figura de linguagem que consiste na inversão da ordem direta do discurso –, o que aceitável, sobretudo na literatura.

ERRADO. Justificativa: O padrão de rimas é ABAB – é possível rimar vogais abertas com vogais fechadas, como é o caso, em “seu” e “céu”.

LETRA D. Justificativa: O hipérbato é a inversão da ordem direta da frase, como a que ocorre em “E, no desvario teu,”, enquanto antítese é a exposição de ideias opostas, como em “Estava perto do céu/Estava longe do mar”.

LETRA C. Justificativa: Quadra é o tipo de poema composto por estrofes de quatro versos, como é o caso de Ismália.

LETRA E. Justificativa: O poema possui uma metrificação bem definida, em redondilha maior, e ela contribui para o ritmo da leitura o que, por sua vez, acrescenta musicalidade à obra.

LETRA C. Justificativa: O verso citado faz referência à dualidade alma/corpo, ou seja, o físico e o transcendental, metafísico, que é uma dualidade presente em todo o poema.

LETRA B. Justificativa: As principais características do Simbolismo são: temática metafísica com um profundo interesse por temas filosóficos; conflito entre matéria e espírito e busca por elementos sinestésicos. Todos esses elementos contrariaram o cientificismo, uma vez que sondaram a transcendência espiritual e o mistério.

LETRA A. Justificativa: Alphonsus é um dos maiores representantes do Simbolismo brasileiro, assim como Cruz e Sousa.

LETRA C. Justificativa: As outras opções fogem da característica central da obra, que é a de dar voz ao escravo negro.

LETRA D. Justificativa: A obra de Maria Firmina fora esquecida durante muito tempo pela literatura brasileira, além de ter sido inovadora em relação ao movimento abolicionista.

LETRA B. Justificativa: A alternativa “a” está incompleta e incorreta; o romance mostra um amor proibido, porém a história trata as questões do protagonismo negro e a luta contra a escravidão; Na alternativa “c”, o que ocorre não são flashbacks e sim narrativas entrelaçadas, além de o romance de Maria Firmina, ser bem distante dos romances românticos da época.

LETRA C. Justificativa: É a única alternativa que não distorce o real interesse de Maria Firmina quando escreve esse trecho, ou seja, o de demonstrar que sua condição (mulher, negra e não estudada em academias europeias) estava ligada ao reconhecimento e valor de seu trabalho.

LETRA A. Justificativa: Os outros movimentos não atribuem as características mencionadas na questão.

LETRA A. Justificativa: O narrador em terceira pessoa também justifica a imparcialidade com que a autora trata a visão do negro.

LETRA A. Justificativa: As outras opções tomam proporções diferentes e não dialogam com o trecho.

LETRA C. Justificativa: O item III está incorreto, pois essa fase já apresentava resquíscios da estética realista, com temas voltados para a relação entre o ser e a sociedade.

LETRA B. Justificativa: “A” representa as características da segunda geração romântica brasileira. “C” representa as características da primeira geração romântica brasileira.

LETRA D. Justificativa: A literatura produzida por Castro Alves representou um momento de maturidade e transição da Literatura Brasileira ao romper com o ideário ultrarromântico. Retratou o lado feio e obscuro da pátria, como a escravidão dos negros, bem como a opressão e a ignorância do povo brasileiro.

ERRADO. Justificativa: De acordo com o texto, o jovem escravizado aparentava ter MENOS de vinte cinco anos de idade, como pode ser confirmado na expressão que para muito – neste caso significando no máximo -, no seguinte trecho: “O homem que assim falava era um pobre rapaz, que ao muito parecia contar vinte e cinco anos…” (linha 3 e 4).

ERRADO. Justificativa: O cavalo estava SOB o pé do desconhecido e não SOBRE o pé. De acordo com o Dicionário Eletrônico Houaiss (2009), a preposição, sob, indica uma coisa ou alguém que está inferior, embaixo ou debaixo de outra. Ou seja, o cavalo é que estava embaixo do pé ulcerado do personagem e não o contrário.

CERTO. Justificativa: Antes, o personagem que está machucado, estava pálido, fraco e desmaiava repetidamente. A afirmação posterior, ao trecho destacado, confirma a melhora, do jovem machucado, ao afirmar que em um momento anterior ele parecia desfalecer.

CERTO. Justificativa: O pronome oblíquo lhe pode funcionar gramaticalmente como objeto indireto, adjunto adnominal e complemento nominal. No trecho destacado, o pronome tem a função de adjunto adnominal, pois ele se refere ao nome e indica posse. Por exemplo, no trecho “Banhou-lhe a fronte com água fresca” é o mesmo que “Banhou a fronte dele com água fresca”. Assim, é possível afirmar que o pronome oblíquo lhe faz referência ao personagem ferido.

ERRADO. Justificativa: As formas verbais – és, mostras, interessar-te -, que estão presentes na última fala do jovem machucado são da segunda pessoa do singular, utilizados majoritariamente no português brasileiro culto, mais formal.

ERRADO. Justificativa: A expressão tem caráter metafórico, mas não tem relação com o entardecer. A expressão tem relação com o pico do sol, ou seja, com seu ponto mais alto no céu, o meio-dia, quando ele fica mais forte e o calor aumenta. O trecho posterior à expressão “o dia crescia mais” descarta sua relação com o entardecer: “… e o sol, requeimando a erva do campo, abrasava as faces pálidas do jovem cavaleiro”.

ERRADO. Justificativa: A oração não tem sentido concessivo, pois não expressa ideia contrária à exposta na oração principal. No caso, a oração é uma subordinada adverbial temporal reduzida de gerúndio – tem uma relação de dependência com a oração principal; apresenta o verbo na forma nominal (soltando); assume a função de adjunto adverbial do verbo da oração principal; exprime a ideia de tempo, que pode ser confirmada com a inclusão da conjunção subordinativa não integrante enquanto, ao passar a oração de reduzida para desenvolvida.

CERTO. Justificativa: A forma verbal cederia vem do verbo ceder. Esse verbo pode ser transitivo direto e indireto – quando assume o sentido de transferir, a outra pessoa, propriedades ou bens, por exemplo -, transitivo indireto – quando assume o sentido de desistir, sucumbir a algo -, e intransitivo – que assume o sentido de abrandar, afrouxar, entre outros. No trecho apresentado, neste item, o verbo aparece significando sucumbir, não resistir, ou seja, ele é transitivo indireto, necessitando, assim, da preposição a para obter sentido completo.

ERRADO. Justificativa: Para participar ativamente dos acontecimentos e interagir, o narrador também precisa ser personagem. O narrador, em terceira pessoa, da cena em questão é onisciente, mas devido ao conhecimento que possui sobre os personagens e seus sentimentos, que o retira da posição de mero observador.

ERRADO. Justificativa: O narrador revela que o jovem escravizado ajuda o moço caído por ser virtuoso, nobre de coração e manter sua alma bondosa, mesmo sofrendo as violências da escravidão. Além disso, no período compreendido entre as linhas 30 e 32, o narrador afirma que o jovem escravizado desconhece o personagem machucado.

CERTO. Justificativa: A última fala do jovem machucado, nas linhas 56 a 58, atesta a surpresa afirmada no item. Mas não fica evidente se a surpresa se deve ao fato de o jovem ser um escravo.

CERTO. Justificativa: O Romantismo brasileiro tem como principais características: a subjetividade, o nacionalismo, a exaltação da natureza, a idealização do herói – que, no Brasil, foi personificado na figura do indígena. A atenção aos problemas sociais, e o uso desta temática nos romances e poemas, ganha força na terceira geração deste movimento literário.

ERRADO. Justificativa: O nacionalismo romântico faz parte da primeira geração do Romantismo no Brasil. No entanto, essa geração tinha como símbolo o indígena dócil, bravo e, ao mesmo tempo, inocente. Os negros escravizados, enquanto temática, só assumiram protagonismo nas décadas de 60 e 70, do século XIX, a chamada terceira geração, na poesia de Castro Alves.

LETRA D. A vergonha que parte do jovem cavaleiro pode ser confirmada no seguinte trecho: “Tentou, então, erguer-se envergonhado de uma fraqueza a que irremissivelmente qualquer um cederia…” (linha 46 e 47). Já a bondade do jovem escravizado se apresenta ao longo de todo o texto, mas pode ser representada pelo seguinte trecho: “Banhou-lhe a fronte com água fresca, depois de ter com piedosa bondade lhe colocado a cabeça sobre seus joelhos.” (linha 26 a 28).

ERRADO. Justificativa: Desobediência Civil é um ensaio que trata de uma defesa da desobediência civil individual como forma de oposição legítima frente a um estado injusto. É certo que quando muitos indivíduos se juntam, se torna algo coletivo, mas não é movimento coletivo que o autor defende.

ERRADO. Justificativa: O anarquismo que ele prega é pacífico, individual e silencioso.

ERRADO. Justificativa: A vontade dele é que o governo não precisasse governar, mas ele não pregava a extinção do governo. A desobediência civil ambiciona por melhorias no governo, mais do que sua abolição.

CERTO. Justificativa: A Desobediência Civil está no mesmo patamar jurídico do Direito de Greve e do Direito de Revolução, o qual se refere ao direito do povo de resguardar sua soberania quando é ofendida.

ERRADO. Justificativa: Ele era contra o pagamento de imposto apenas como um protesto a algo específico, que era a guerra e a escravidão.

CERTO. Justificativa: Mahatma Gandhi e Martin Luther King são exemplos de líderes que foram influenciados pelos seus pensamentos.

ERRADO. Justificativa: Ele o solidificou, mas outros autores antes dele já falavam sobre isso.

CERTO. Justificativa: o Estado nunca confronta intencionalmente a consciência, intelectual ou moral, de um homem, mas apenas seu corpo, seus sentidos. Não dispõe de inteligência ou honestidade superiores, mas só de força física maior

CERTO. Justificativa: Thoreau acreditava que mesmo encarcerado continuava livre, pois estava agindo e pensando da sua própria maneira. “Não nasci para ser coagido. Respirarei à minha própria maneira. Vamos ver quem é mais forte.”

C. Justificativa: Tanto Kant quanto Thoreau são autores que incentivam o uso da razão em qualquer área da vida, e principalmente da vida pública. Enquanto um incentiva a dura crítica ao pagamento injusto de imposto o outro incentiva o não pagamento como protesto.

CERTO. Justificativa: Tanto para Kant quanto para Thoreau a liberdade está diretamente relacionada com o uso da razão. Não existe liberdade sem autonomia, sem fazer aquilo que se acredita racionalmente.

CERTO. Justificativa: Uma das grandes lutas do Iluminismo foi contra o Antigo Regime (Monarquia Absolutista e Mercantilismo). A Monarquia Absolutista era justificada pela Teoria do Direito Divino dos Reis, ideia que colocava o rei como um enviado ou embaixador de Deus. Logo, contestar, criticar ou ofender ao rei era se opor à vontade de Deus.

ERRADO. Justificativa: As revoluções Inglesa e Gloriosa, ocorridas na Inglaterra, são precursoras do Movimento Iluminista, diferentes da Independência dos EUA e da Revolução Francesa, que são diretamente influenciadas pelo ideário Iluminista.

CERTO. Justificativa: Os dois exemplos dados pela questão possuem as características do Despotismo Esclarecido: líderes de governos absolutistas, porém com traços de ideias iluministas (como um governo baseado na razão e na filosofia).

CERTO. Justificativa: De fato, as ideias iluministas foram o grande influenciador do Arcadismo.

CERTO. Justificativa: Posição de ter adquirido a condição de esclarecimento e a posição de não sair da minoridade.

CERTO. Justificativa: Apesar de Kant propor uma ética voltada para a felicidade a partir de uma crítica da razão pura, no texto, o elemento felicidade não ficou em destaque, mas o que ficou em destaque foi o uso da razão como virtude, que pode trazer a felicidade.

ERRADO. Justificativa: Nietzsche coloca que os instintos e construções subjetivas deveriam ser o foco e objetivo do indivíduo na obtenção da felicidade. Ele está criticando a forma de consolidação do conhecimento racional e discorda de Kant sobre a construção e valorização das formas de conhecimento.

CERTO. Justificativa: O pensamento racional iluminista é criticado por Nietzsche por negar os aspectos de desejo e vontade individual e construindo uma moralidade que impossibilita o indivíduo de obter seus anseios.

CERTO. Justificativa: O imperativo categórico deve ser universalizado para construção moral, entretanto a escolha da minoridade não é algo universalizável, uma vez que estar nessa condição é estar preso sem poder produzir o próprio conhecimento, ou pensar por si próprio.

ERRADO. Justificativa: A minoridade é uma forma de obter conhecimento a partir de uma fonte externa ao indivíduo.

ERRADO. Justificativa: Não é condição suficiente para se conseguir a autonomia. Segundo Kant, a autonomia do indivíduo pressupunha a submissão da sua vontade à Razão, e não apenas a qualquer autoridade de direito.

ERRADO. Justificativa: Segundo Kant, esclarecimento é a saída do homem de sua menoridade. Menoridade esta que é a incapacidade de fazer uso de seu entendimento sem a direção de outro indivíduo. E o culpado dessa menoridade é o próprio indivíduo.

ERRADO. Justificativa: O filósofo não critica os escândalos cometidos por cidadãos que recolhem os impostos e tampouco se opõe publicamente a eles, o que ele faz é dizer que o cidadão deve cumprir suas obrigações como cidadão sem querer provocar rebeliões, mas também como cidadão deve se manifestar publicamente caso ache que as imposições a ele feitas são inoportunas ou mesmo injustas.

CERTO. Justificativa: Tanto Kant quanto Thoreau são autores que incentivam o uso da razão em qualquer área da vida, e principalmente da vida pública. Enquanto um incentiva a dura crítica ao pagamento injusto de imposto o outro incentiva o não pagamento como protesto.

CERTO. Justificativa: Tanto para Kant quanto para Thoreau a liberdade está diretamente relacionada com o uso da razão. Não existe liberdade sem autonomia, sem fazer aquilo que se acredita racionalmente.

CERTO. Justificativa: O museu perpetua um conhecimento adquirido por intermédio da pesquisa, preservação e a divulgação de bens materiais e imateriais.

ERRADO. Justificativa: O museu é um lugar de possíveis diálogos entre passado, presente e futuro.

CERTO. Justificativa: O ato de colecionar foi uma das ações que estimulou o seu surgimento e a própria coleção vai educando o olhar, impondo exigências, critérios, qualidades, exigindo espaços adequados, entre outros. Constituindo-se num patrimônio que precisa ser preservado. Seu destino é o museu.

ERRADO. Justificativa: O valor cobrado é para preservação e manutenção do acervo. A cobrança para visitação visando lucros é de coleções particulares.

ERRADO. Justificativa: A despeito do sistema de aterro hidráulico ser o mais utilizado em todo mundo, atualmente existem técnicas mais modernas que permitem a drenagem mais segura dos resíduos da mineração por meio de filtros.

ERRADO. Justificativa: É uma ação que ajuda a evitar, mas não é, sozinha, suficiente. Os especialistas são uníssonos em afirmar que a utilização de técnicas mais modernas de filtragem dos resíduos, a manutenção correta das barragens, a utilização de instrumentos de monitoramento eletrônico, a implementação de sistemas de alerta, a adoção de planos emergenciais e, sobretudo, uma fiscalização séria e eficiente pelos órgãos competentes são medidas que, se estivessem em pleno funcionamento, certamente teriam evitado o desastre ou minimizariam seus impactos socioambientais.

CERTO. Justificativa: É inegável a importância ecológica de florestas ao longo de cursos d’água, com reflexos tanto para a manutenção da biodiversidade local como para as comunidades que com ela interagem de forma social e econômica. As vegetações nessas áreas atenuam a erosão do solo, regularizam os fluxos hídricos e impedem o processo de assoreamento dos cursos da água, dentre outras funções vitais.

CERTO. Justificativa: Comparado ao mercúrio, por exemplo, esse rejeito não é tóxico, já que é formado basicamente por sílica. Ninguém vai desenvolver câncer. O risco não é para o ser humano, mas para o meio ambiente. Essa lama avermelhada deve causar danos em todo o ecossistema da região, impactando por anos seus rios, fauna, solo e até os moradores, no sentido de que o trabalho deles, como a agricultura, pode se tornar impraticável.

CERTO. Justificativa: Especificamente no que tange à biodiversidade aquática e a qualidade das águas da bacia hidrográfica do rio Doce os danos causados foram particularmente perversos e imensos, eis que proporcionais à extensão do corpo hídrico atingido pela lama. Em alguns casos, as perdas serão irreversíveis, haja vista a possível extinção de espécies consideradas endêmicas. Por onde a lama de rejeitos passou deixou um rastro de contaminação, mortandade e destruição.

CERTO. Justificativa: As águas do Rio Doce, depois do maior desastre ambiental da História do país, estarão sujeitas a novos picos de turbidez (água turva), quedas de oxigênio, aumentos na concentração de metais e prejuízos para os dependentes da bacia por períodos “indeterminados e imprevisíveis”.
Entrevista – Edgar Dutra Zanotto: Um olho na ciência, outro na indústria

ERRADO. Justificativa: Causou não somente impactos sociais, mas muitos danos à biodiversidade da bacia do rio Doce. E, exatamente por esse motivo, desequilibrou as teias alimentares das espécies presentes no ecossistema local.

CERTO. Justificativa: O objetivo é entender e descrever algo novo para poder publicar um artigo científico. Apesar de que prever seria o ideal, mas é muito difícil.

ERRADO. Justificativa: O vidro é um material rígido feito da mistura de vários reagentes que geralmente são fundidos e resfriados rapidamente evitando a cristalização. Assim, os átomos ficam presos em um estado de desordem, formando um líquido temporariamente congelado, o vidro.

CERTO. Justificativa: Segundo a física Márcia Cristina Bernardes Barbosa, professora titular do Instituto de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (IF-UFRGS), há pelo menos 15 anos estuda a sub-representatividade das mulheres nessas áreas, o índice de crescimento das mulheres nas áreas Stem é o contrário do seu crescimento.

ERRADO. Justificativa: O problema parece residir, na verdade, no fato de os cursos serem compostos majoritariamente por homens, o que contribuiria para o estabelecimento de um ambiente hostil às mulheres, envolvendo, muitas vezes, assédio sexual, humilhação, menosprezo ou rejeição de ideias manifestadas, por exemplo, em reuniões de laboratório.

ERRADO. Justificativa: As estudantes abandonam os cursos por fatores não relacionados à capacidade intelectual, mas por discriminação e falta de apoio, confiança e escassez de modelos femininos em áreas com baixa representatividade de mulheres.

ERRADO. Justificativa: Não é sobre capacidade de representatividade, mas sobre dificuldades de se manter em ambientes desfavoráveis. Assim, encorajamento se faz necessário.

ERRADO. Justificativa: A prática da violência doméstica e familiar contra a mulher não se restringe ao âmbito da unidade doméstica. Os incisos do artigo 5º da Lei 11.340, traz o rol dos recintos que irão tipificar a violência doméstica e familiar.

CERTO. Justificativa: A efetividade não se dá de maneira uniforme no país, por causa dos diferentes graus de institucionalização dos serviços protetivos às vítimas de violência doméstica.

ERRADO. Justificativa: A lei prevê uma série de políticas voltadas para o auxílio da mulher vítima de violência doméstica, como: assistência trabalhista, inclusão em programas assistenciais, fornecimento de medicamentos específicos e outros procedimentos médicos que sejam necessários.

LETRA E. Justificativa: As formas de violência doméstica e familiar contra a mulher são mais amplas do que as próprias tipificações penais, propriamente ditas. Assim, poderá haver caracterização de violência doméstica e familiar sem que o fato seja típico; neste caso poderá ser aplicada alguma medida protetiva, por exemplo.

CERTO. Justificativa: Foi ela quem estabeleceu pela primeira vez a proteção universal dos direitos humanos. A DUDH não tem um autor individual, mas foi elaborada por representantes de diversas origens jurídicas e culturais de todas as regiões do mundo.

CERTO. Justificativa: Nesse caso, a generalização é verdadeira, pois essa necessidade baseia-se no fato de que todo o ser humano é igual, independentemente de qualquer aspecto individual que o cerque, e a DUDH existe com o objetivo de orientar todas as sociedades do mundo a preservarem os direitos humanos.

CERTO. Justificativa: A Constituição Federal de 1988 é uma das constituições do mundo em que os direitos humanos são mais resguardados, isso pode ser visto no fato de que textos foram retirados diretamente da DUDH.

ERRADO. Justificativa. Diferente dos tratados e convenções internacionais, a Declaração Universal dos Direitos Humanos é uma declaração de um órgão intergovernamental e não uma deliberação de um órgão governamental e, portanto, não é lei e não tem força de lei, mas é como uma norma comum do Direito Internacional a ser alcançada por todos os povos e nações.

ERRADO. Justificativa: A garantia dos direitos humanos universais é feita por lei, na forma de tratados e de leis internacionais, por exemplo, ou mesmo pelas leis produzidas nos órgãos do poder Legislativo de cada país.

LETRA E. Justificativa: Artigo XIX da declaração universal dos direitos humanos: Todo ser humano tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferência, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e ideias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras.

ERRADO. Justificativa: O direito à vida é considerado o mais fundamental, porém, não há hierarquia entre direitos.

CERTO. Justificativa: Artigo 25 (DUDH) I) Todo o homem tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda de meios de subsistência em circunstâncias fora de seu controle. II) A maternidade e a infância tem direito a cuidados e assistência especiais. Todas as crianças, nascidas dentro ou fora do matrimônio, gozarão da mesma proteção social.

CERTO. Justificativa: Com base no art. 29, II e III da Declaração, No exercício de seus direitos e liberdades, todo o homem estará sujeito apenas às limitações determinadas pela lei, exclusivamente com o fim de assegurar o devido reconhecimento e respeito dos direitos e liberdades de outrem e de satisfazer as justas exigências da moral, da ordem pública e do bem-estar de uma sociedade democrática. Esses direitos e liberdades não podem, em hipótese alguma, ser exercidos contrariamente aos objetivos e princípios das Nações Unidas.

CERTO. Justificativa: O preâmbulo da DUDH menciona que: “Considerando que os Estados membros se comprometeram a promover, em cooperação com a Organização das Nações Unidas, o respeito universal e efetivo dos direitos do Homem e das liberdades fundamentais”.

CERTO. Justificativa: A CF 1988 deu uma nova configuração para o cenário social do Brasil. Ulysses Guimarães, um dos principais articuladores da constituição, denominou corretamente ela de constituição cidadã, pois focava no cidadão como objeto da sua existência. O artigo sexto, que trata dos direitos sociais, é um exemplo disso.

CERTO. Justificativa: Ulysses Guimarães, o presidente da ANC, fez questão de dar voz a todos os setores da sociedade, para que fosse realmente uma democracia participativa, e consagrasse o princípio de que o poder emana do povo.

ERRADO. Justificativa: Sem consultar nenhum partido político ou Assembleia Constituinte, no dia 25 de março D. Pedro I promulgou a primeira Constituição de 1824, a primeira do país.

ERRADO. Justificativa: A CF 1824 foi do império, e não teve a participação direta do povo, e não reproduziu a vontade nacional.

ERRADO. Justificativa: Os autores da Constituição Federal de 1988 se dividem em dois grupos, o das centenas de deputados e senadores integrantes da Assembleia Nacional Constituinte e o dos literalmente milhões de cidadãos brasileiros que clamavam e lutavam por uma nova Constituição para o Brasil, pela volta de uma democracia realmente participativa.

CERTO. Justificativa: No caso da ANC do Brasil, que tinha a função de transformar o país numa nação democrática, a sua composição era de 559 parlamentares, 487 deputados e 72 senadores, que foram eleitos nas eleições gerais de 1986 e que acumularam a posição de parlamentares com a de constituintes.

CERTO. Justificativa: É aquele que voluntariamente quer ser parte da construção coletiva do futuro e do presente do seu país.

ERRADO. Justificativa: Os direitos políticos podem ser definidos como todos aqueles direitos destinados a concretizar a soberania popular; como o conjunto de direitos que regulam a forma por meio da qual o povo consegue interferir no governo; como direitos essenciais ao indivíduo, pois através deles, o cidadão pode usufruir de outros direitos individuais, como o direito de expressão, direito de informação, direito de liberdade, o direito de consciência, entre outros.

error: Conteúdo protegido.
Rolar para cima